Toxina botulínica no controle do bruxismo

Você sabia que a toxina botulínica, substância utilizada para redução das linhas de expressão, também pode ser aplicada no tratamento do bruxismo?

O bruxismo é uma desordem funcional que se caracteriza pelo ranger ou apertar dos dentes durante o sono, que pode provocar desgaste e fratura dos dentes, problemas ósseos na gengiva e na articulação da mandíbula.

O bruxismo não tem tratamento especifico, mas pode ter seus sintomas amenizados, e uma das formas é através da toxina botulínica – muito utilizada na estética facial – que ajuda a inibir a contração muscular causada pela doença.

A origem do bruxismo está relacionada a uma alteração no Sistema Nervoso Central, levando a uma hiperatividade motora dos músculos da mastigação, ocasionando o apertamento ou ranger dos dentes. E é exatamente neste ponto que age a toxina botulínica, que através do mecanismo da não-liberação do neurotransmissor responsável pela propagação da contração muscular, interrompe a comunicação entre o músculo e o nervo, inibindo esta hiperatividade, promovendo o relaxamento destes músculos.

O tratamento do bruxismo com a toxina botulínica oferece várias vantagens. Dentre elas, podemos destacar o fato de que a ação da TB independe de fatores externos, como por exemplo da colaboração dos pacientes, agindo 24 horas por dia. Outro importante benefício é que, de acordo com estudos e evidências clínicas, o uso da TB têm apresentado significativas melhoras nos índices de dor muscular facial, na qualidade de sono dos pacientes e alívio considerável na cefaleia tensional (dor de cabeça causada pela contração muscular contínua).

A maioria dos pacientes que apresentam bruxismo pode fazer o tratamento. O efeito da aplicação começa a partir de 48 horas, com ápice observado em aproximadamente duas semanas. O resultado da aplicação não é permanente, começando a diminuir por volta de três a quatro meses após a aplicação. Após o sexto mês, aproximadamente, a aplicação pode ser repetida. A ressalva é apenas para que a quantidade aplicada não exceda a 100 unidades de toxina botulínica e para as demais contraindicações já conhecidas ao medicamento, como uso recente da vacina antitetânica, transtornos neuromusculares generalizados, gravidez e lactação, pacientes em uso de alguns antibióticos e pacientes alérgicos à lactose e à própria toxina botulínica.

É recomendado também combinar a toxina botulínica com o uso de placa miorrelaxante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *